40 anos de boas lembranças – Exposição apresenta história da Fiocruz Brasília

Por: Fiocruz Brasília
15/12/2016

Exposição apresenta história da Fiocruz Brasília

No olhar, o brilho de um contador de história. As lembranças afloram e Clodoaldo Pinheiro, um dos mais antigos servidores da Fiocruz Brasília, viaja por histórias que se cruzam – a sua e a da Fiocruz Brasília. O detonador das recordações é a visita à exposição “Histórias que se cruzam: 30 anos da 8ª Conferência Nacional de Saúde e 40 anos da Fiocruz Brasília”, montada na passarela de acesso do prédio administrativo da instituição.

“É maravilhoso e muito positivo ver nossa história contada. Tem o ontem, o hoje e há um marco de projeção para o futuro”, diz “Clodo”, apelido como é mais conhecido. E acrescenta:    “Viajei… Me vi junto com a Telma Gontijo e o Dr. Elói Garcia (presidente da Fiocruz no período 1997-2000) conversando sobre a necessidade de termos um prédio próprio, pois o Sérgio Arouca (presidente de 1985 a 1989) já tinha negociado a cessão do terreno com o então reitor da Universidade de Brasília (UnB), o Cristovam Buarque”. Outra revelação é a de que Sérgio Arouca vislumbrava a Fiocruz Brasília abrigada em um prédio modular, ao qual seriam acrescidos novos espaços à medida do seu crescimento. 

A exposição traz uma linha do tempo abordando três dimensões. Uma delas é a afetivo-pessoal – onde, a história é contada pelas pessoas que fazem a Fiocruz Brasília. Ela permite observar o percurso da Instituição por meio do olhar de quem faz a nossa força de trabalho. São momentos que, para cada um, se tornaram marcantes em suas trajetórias pessoais em nossa instituição. Aqui encontramos fotos de momentos importantes e depoimentos gravados de ex-diretores da Fiocruz Brasilia, narrando os principais desafios e as conquistas em suas respectivas gestões.  

Outra dimensão é a físico-estrutural que permite acompanhar a evolução física da sede da Fiocruz em Brasília, desde a utilização de uma sala na Opas (e depois na Unidade II do Ministério da Saúde), até o atual conjunto de prédios no campus da Universidade de Brasília.

E, a terceira dimensão, a político-institucional que narra o percurso institucional da Fiocruz Brasília, desde a sua criação, em 1976, como escritório de representação, até os dias de hoje, com o papel que lhe foi ratificado pelo VII Congresso Interno da Fundação Oswaldo Cruz, realizado em 2015. Aqui, acompanhando a história, percebe-se que no início da década 2000 iniciam as atividades voltadas para a educação, em 2006 cria-se o Núcleo Federal de Ensino que evoluiu para a Escola Fiocruz de Governo (EFG).

 A consolidação da escola acontece em 2014 com a aprovação do Mestrado Profissional em Políticas Públicas em Saúde pela CAPES/MEC. Com duas linhas de pesquisa, “Saúde e Justiça Social” e “Vigilância e Gestão em Saúde”. A aprovação resultou de um processo de construção coletiva de pesquisadores da Fiocruz Brasília com vocação educacional. Para além de uma proposta agregadora, o mestrado também contribuirá para suprir a demanda reprimida da região Centro-Oeste, que conta com poucas alternativas para a formação em saúde.

Fabiana Damásio, diretora da EFG e servidora concursada, observou a importância de a história da Fiocruz Brasilia ser contada para que as pessoas percebam que Brasília deixou de ser um lugar de passagem e hoje é local de enraizamento. Para ela, o agora sinaliza movimento em rede articulada com o território local e com a região Centro-Oeste, mas sempre com o SUS como foco principal.