Você sabia?

 

Em novembro de 2011, a sede da Fiocruz Brasília venceu o prêmio de melhor projeto na categoria Edifícios Institucionais–Educação, no 4º concurso “O Melhor da Arquitetura”, promovido pela revista Arquitetura e Construção, da editora Abril. O prédio recebeu 48,4 % dos votos populares via internet. Arquitetos: Beatriz Naomi Onishi e Márcio Magalhães das Neves (Dirac-Fiocruz) e Alberto de Faria, Fátima Pires e Fabiana Couto (Centro de Planejamento Oscar Niemeyer-Ceplan, da UnB) (fonte AFN).

A construção da nova sede da Fundação em Brasília foi planejada de forma a garantir o equilíbrio ambiental na área em que o prédio foi erguido. Ficou estabelecido o plantio de 30 novas mudas para cada árvore retirada dos espaços ao redor do prédio. Além disso, foram adotados sistemas de uso racional de água e de economia de luz de forma a evitar danos aos sistemas hídricos ou ao ecossistema da região. (Fonte: Agência Fiocruz de Notícias)

O painel externo do auditório principal da Fiocruz Brasília constitui uma das últimas obras projetadas pelo mosaicista Athos Bulcão, famoso artista plástico morto em 2008. Por meio dele, o artista quis homenagear o centenário do arquiteto Oscar Niemeyer. O painel, desenhado em 2007, é composto por 3.584 peças, e tem o objetivo de dar sentido de movimento e leveza por meio de suas figuras.

Atualmente, a Fiocruz Brasília abriga Escola Fiocruz de Governo (EFG), a UNA-SUS (Universidade Aberta do SUS) e diversos projetos e programas divididos em áreas de conhecimento. Fruto de decisão do Congresso Interno da Fiocruz, a CPPE tinha por objetivo reunir e dinamizar os projetos de pesquisas e os programas executados pelos diferentes profissionais da instituição. Hoje, a coordenação permanece, mas com a sigla CPP (Coordenação de Programas e Projetos).

 

Os comentários estão desativados.