Percursos Formativos no SUS

Por: Fiocruz Brasília
14/12/2016

Profissionais de saúde participaram de intercâmbio de experiências com outros estados e avaliam projeto durante encontro

Profissionais de saúde de todo o Brasil estiveram reunidos em Brasília ontem (13) para o I Encontro Nacional do Projeto de Percursos Formativos na Rede de Atenção Psicossocial. O coordenador de programas e projetos da Fiocruz Brasília, André Guerrero, ressaltou que o projeto é inovador no campo da educação permanente e no desenvolvimento de tecnologia de ponta.  

“Pela inovação entende-se que só conseguimos autonomia do ser humano conforme ele vai adquirindo conhecimento. O Percursos é uma ampliação de conhecimentos, é acessível e traz uma transformação no dia a dia dos Caps -Centro de Atenção Psicossocial- e consultórios de rua, fazendo a nossa atividade chegar e mudar a vida do usuário”, explicou.

Guerrero destacou o papel da Fiocruz como centro de pesquisa e de desenvolvimento de tecnologias nos campos da formação, fármacos e vacinas. Para ele, o momento atual de avaliação e reflexão sobre as ações já realizadas e de planejamento para o futuro é importante para avanço na política de saúde mental.

Keyla Kikushi, coordenadora interina de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas do Ministério da Saúde, acredita que é preciso criar estratégias junto com o usuário e sua família. Afirmou que é fundamental manter as portas dos estabelecimentos de saúde abertas a todos, não somente a algumas pessoas, e sem barreiras ou postura manicomial para não afastar o paciente. “O SUS é para todos”, ressaltou.

Como desafio, destacou a luta por leitos em hospitais psiquiátricos, criação de outros Centros de Atenção Psicossocial (Caps), financiamento do setor e educação permanente dos profissionais de saúde. “Que estas experiências sejam mantidas e replicadas. Agora temos que dar continuidade ao projeto”, finalizou.

A coordenadora da Comissão Intersetorial de Saúde Mental do Conselho Nacional de Saúde, Semíramis Vedovatto também esteve presente. O encontro é realizado pelo Núcleo de Apoio às Políticas de Atenção à Saúde, da Coordenação de Programas e Projetos (CPP) da Fiocruz Brasília em parceria com o Ministério da Saúde.

Projeto

O projeto de Percursos Formativos na RAPS foi lançado em 2013 e reúne o trabalho de diferentes setores. Durante 10 meses, profissionais de saúde de municípios dos estados Tocantins, Minas Gerais, São Paulo e Ceará realizaram intercâmbio de experiências e oficinas de atualização. Os relatos foram contados durante o evento em diversos formatos, até em forma de poesia. Mais de 4 mil profissionais de saúde mental de mais de 90 cidades das 5 regiões do país participam do projeto. Eles puderam sair do seu ambiente de trabalho e vivenciar uma rede de formação e troca e aprendizagem significativa. A reabilitação, a autonomia e o protagonismo do usuário dos serviços foram resultados apresentados pelas equipes.