Fiocruz Brasília lança publicação voltada para vigilância popular em saúde no DF

Por: Nathállia Gameiro
17/06/2021

Nesta quinta-feira (17), a Fiocruz Brasília, por meio da Plataforma de Inteligência Cooperativa com a Atenção Primária à Saúde (PICAPS), lança o Caderno de orientações para agentes populares de saúde: Vigilância popular em saúde potencializando os territórios no enfrentamento da Covid-19. A publicação integra o material pedagógico do Curso de Formação de Agentes Populares de Saúde, que busca capacitar educadores populares para que, em articulação e diálogo com as equipes da Atenção Básica de Saúde, possam multiplicar o conhecimento nas comunidades do Distrito Federal e contribuir com o enfrentamento da pandemia. 

O pesquisador da Fiocruz Brasília Osvaldo Bonetti explica que o material é fruto de articulação da instituição com movimentos populares, e teve como base a primeira cartilha da Campanha Mãos Solidárias, lançada em março de 2020 pelo Movimento Periferia Viva em Pernambuco, início da pandemia no Brasil. “No esforço atual de enfrentamento da pandemia, foi re-contextualizada, trazendo significativas contribuições para prevenção, cuidado e processos de enfrentamento nos territórios”, afirma.

 

Durante o curso, serão abordadas as diferentes realidades enfrentadas diante da pandemia; fragilidades e potencialidades dos territórios; além de conteúdos sobre a defesa dos direitos sociais e das políticas públicas; os serviços do SUS; o novo coronavírus e as formas de transmissão, prevenção, cuidado, sinais e sintomas da doença; e outras estratégias de mobilização e comunicação para conter a Covid-19 e evitar o aparecimento de outras variantes do vírus.

 

Participam do lançamento da cartilha a diretora da Escola de Governo Fiocruz-Brasília, Luciana Sepúlveda, o coordenador da ​PICAPS, Wagner Martins, o representante do Coletivo de Saúde do MST Lucas Lemos, o coordenador do Conselho Latino Americano de Educação Popular, Selvino Heck, a pesquisadora da Fiocruz Pernambuco e uma das coordenadoras da campanha Periferia Viva, Paulette Cavalcanti, e os pesquisadores da Fiocruz Brasília Osvaldo Bonetti e Lilian Gonçalves. 

O evento tem início às 19h e será transmitido pelo canal da Fiocruz Brasília no Youtube.