Fiocruz Brasília lança Curso Nacional de Atenção Psicossocial e Saúde Mental na Pandemia covid-19 – EaD

Por: Fiocruz Brasília
12/05/2020

Curso é desenvolvido pela Escola de Governo Fiocruz – Brasília em parceira com o Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres (Cepedes/Fiocruz)

 

Nayane Taniguchi

 

A Fiocruz Brasília divulga, nesta quinta-feira (7/5), chamada pública para seleção do Curso de Atualização em Saúde Mental e Atenção Psicossocial na covid-19, na modalidade a distância. O curso foi desenvolvido pela Escola de Governo Fiocruz – Brasília em parceira com o Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres (Cepedes/Fiocruz).

 

Confira a Chamada Pública

 

As inscrições podem ser feitas entre os dias 7 de maio e 7 de junho. As vagas são limitadas. A atualização é voltada aos profissionais de saúde e áreas afins no campo da Saúde Mental e Atenção Psicossocial (SMAPS) que estejam trabalhando ou venham a trabalhar durante a pandemia covid-19, e tem como objetivo proporcionar subsídios para o entendimento global do cuidado em Saúde Mental e Atenção Psicossocial em situações de pandemia do novo coronavírus, bem como oferecer ferramentas que auxiliem a compreender e a elaborar estratégias de planejamento, preparação e resposta para população em geral, pacientes infectados, familiares e trabalhadores da linha de frente. O curso foi construído com base nas cartilhas da Série Saúde Mental e Atenção Psicossocial na Covid-19 da Fiocruz.

 

“Organizamos o curso de Saúde Mental e Atenção Psicossocial na covid-19 a fim de capacitar profissionais da saúde para a realização dos primeiros cuidados psicológicos como uma resposta de enfrentamento à pandemia. Destacamos que esta iniciativa é inovadora e pode contribuir, por meio de suporte técnico-informativo, para que os profissionais lidem de modo mais assertivo e cuidadoso com as adversidades que se instalam em função da pandemia”, afirmam os coordenadores da capacitação Fabiana Damásio, diretora da Fiocruz Brasília, Débora Noal e Carlos Machado de Freitas. Os profissionais serão certificados com um título de atualização (40h) gerado automaticamente pela plataforma EaD. Para isso, deverão ter aproveitamento mínimo de 70% nas atividades.

 

A diretora da Fiocruz Brasília ressalta a importância do investimento em capacitação dos profissionais para lidar com os desafios impostos pela pandemia, para além das outras frentes de atuação da instituição, como em projetos voltados para o desenvolvimento de tecnologias para diagnóstico, tratamento e prevenção à covid-19, em parceira com o Governo do Distrito Federal (GDF) e Universidade de Brasília (UnB). Saiba mais aqui. 

 

Os coordenadores explicam que uma pandemia como a atual implica em uma perturbação psicossocial que pode ultrapassar a capacidade de enfrentamento da população afetada, considerando, inclusive, que a população total do país sofre um impacto psicossocial em diferentes níveis de intensidade e gravidade. Acrescentam que, ainda que a maior parte dos problemas psicossociais sejam considerados reações e sintomas normais para uma situação anormal, estima-se um aumento da incidência de transtornos psíquicos – entre um terço e metade da população – de acordo com a magnitude do evento, o grau de vulnerabilidade psicossocial, o tempo e a qualidade das ações psicossociais na primeira fase da resposta à epidemia.

 

Inscrições

Para inscrições, os interessados devem acessar esse link e seguir as orientações. Em casos de dúvidas, informações podem ser obtidas na página do suporte técnico.

 

O curso é dividido em 16 módulos: recomendações para gestores; recomendações aos psicólogos para o atendimento online; recomendações para crianças em situação de isolamento hospitalar; cuidados paliativos; processo de luto no contexto da Covid-19; a quarentena na Covid-19: orientações e estratégias de cuidado; violência doméstica e familiar na Covid-19; recomendações para os Consultórios na Rua; orientações às(os) psicólogas(os) hospitalares; Covid-19 e população privada de liberdade; recomendações aos trabalhadores e cuidadores de idosos; pessoas migrantes, refugiadas, solicitantes de refúgio e apátridas; população indígena.