Fiocruz Brasília abre as portas para mais de 200 meninas de escolas públicas do DF

Por: Fiocruz Brasília
12/02/2020

Nathállia Gameiro

Durante evento em celebração ao Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência, as estudantes conheceram as trajetórias de diferentes trabalhadoras e as pesquisas realizadas na instituição

O dia 11 de fevereiro ficou marcado para mais de 200 meninas de 12 a 18 anos, estudantes de colégios públicos da Ceilândia,  Estrutural e de outras regiões do Distrito Federal e entorno. As meninas começaram o ano escolar com diversas atividades na Fiocruz Brasília em comemoração ao Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência. Pais de alunas e professoras acompanharam as estudantes, que passaram o dia em contato com a ciência.

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, abriu o evento por meio de mensagem na qual destacou que a ciência é um campo para todas as mulheres. “Que as meninas tenham mais vez e voz”, disse. Confira abaixo:



A programação contou com duas palestras em formato TEDx, uma delas com  a representante do Fundo de População das Nações Unidas da Organização das Nações Unidas (UNFPA/ONU), Raquel Quintiliano, da pesquisadora e vice-diretora da Fiocruz Brasília Denise Oliveira, e Gisele Silva, pesquisadora em processo de formação na Fiocruz Brasília, integrante da Escola Fiocruz de Governo (EFG). Elas estudaram em escolas públicas e enfrentaram diversos obstáculos, como a descrença de que seriam capazes, dificuldades financeiras para deslocamento e estudo, dificuldades para conciliar a carreira com a maternidade e preconceito por serem negras. Ao final, deixaram mensagens para as estudantes não desistirem de seguir seus sonhos e,  com os estudos, chegarem onde almejam.

Para mostrar que a ciência não tem idade, três jovens pesquisadoras também compartilharam sua experiência na Fiocruz Brasília.  Ana Caroline Esteves, que foi  bolsista Pibic e hoje integra a equipe do Programa de Evidências em Políticas e Tecnologia (PEPTS); Ana Vitória Rodrigues, estudante do Centro de Ensino Incra 09, localizado na zona rural de Ceilândia, que participou do Fórum Ciência e Sociedade 2019 e hoje é aluna da Formação para  Iniciação Científica na Educação Básica; e Bárbara Martins, estudante de Enfermagem da Universidade de Brasília (UnB) e bolsista Pibic da Assessoria de Comunicação. Elas falaram sobre os projetos e atividades científicas que fazem parte e como entraram para a equipe da Fiocruz Brasília, além de darem dicas às crianças e adolescentes presentes no evento. “Não deixem de acreditar em vocês”, disse Bárbara Martins, de 21 anos. “Agarre as oportunidades”, enfatizou Ana Vitória, de 15 anos. “Valorizem os professores que vocês têm”, lembrou Ana Carolina, de 27 anos.

As alunas ganharam um kit com camiseta e materiais do evento e tiveram a oportunidade de ficar frente a frente com as pesquisadoras durante oficinas que permitiram que elas conhecessem as atividades científicas realizadas na instituição, reforçando a ideia de que a ciência também é feita por mulheres, e em diferentes áreas, inclusive fora dos laboratórios. As oficinas apresentaram o que fazem, como as pesquisadoras atuam e a importância de se fazer pesquisa para mudar a realidade local e mundial; o que a regulação de álcool, agrotóxicos, alimentos ultraprocessados e tabaco têm a ver com as políticas públicas, apresentou fontes de pesquisa para a elaboração dos trabalhos e caminhos da ciência nas escolas.

Temas como cigarro eletrônico, saúde da menina e da mulher, importância da vacinação do HPV, uso de preservativos, formas de prevenção do câncer de colo de útero, mídias sociais e o impacto na saúde das adolescentes e uso de drogas e suas consequências também foram abordados. As participantes ainda montaram um roteiro e gravaram um trecho de podcast sobre mulheres cientistas que foram invisibilizadas ao longo dos anos. Os arquivos de áudio comporão o podcast da Fiocruz Brasília Mais mulheres e meninas na ciência , que será lançado no fim do mês.


“Me chamou atenção que muitas mulheres aqui hoje disseram que trabalharam como donas de casa para conseguir chegar onde chegaram. Esse evento mostra toda a representatividade para nós mulheres. Somos muito mais que mulheres do lar ou alguém que deve cuidar da casa e servir um homem, a gente pode servir a nós mesmas e conquistar nossos sonhos. Se você quer aquilo, você consegue. Eu adorei tudo o que vi aqui hoje”, avaliou a estudante do Centro de Ensino Fundamental 34 da Ceilândia, Aline Cirqueira Pacheco.

O grupo de percussão  Batalá, formado por mulheres de Brasília, brindou as meninas com uma apresentação durante o almoço. Ao final do evento, as três primeiras colocadas da Mostra de Ilustrações e Relatos “A Ciência da Vida: Minha Vida é na Ciência” foram anunciadas. As duas primeiras colocadas foram premiadas com uma viagem à sede da Fiocruz no Rio de Janeiro. Clique aqui para acessar as ilustrações que compõem a mostra que está exposta na Escola Fiocruz de Governo até o fim de fevereiro.

“Promover o Mais Meninas na Fiocruz Brasília é um momento de contar histórias e conhecer o caminho de construção das carreiras de diversas mulheres”, afirmou a diretora da Fiocruz Brasília, Fabiana Damásio. A pesquisadora, nascida na Bahia e formada em Psicologia, compartilhou com as estudantes os desafios de vir para Brasília para estudar.

Na abertura do evento,  gestoras e parlamentares também contaram suas trajetórias de vida e de carreira: reitora do Instituto Federal de Brasília (IFB), Luciana Massukado; as deputadas federais Margarida Salomão (PT-MG), Paula Belmonte  (Cidadania-DF) e Erika Kokay (PT-DF); a secretária da Secretaria de Estado da Mulher do Distrito Federal, Ericka Filippelli; a diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Camile Sachetti; a diretora do Departamento de Promoção da Dignidade da Mulher da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres do Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos, Lília Nunes Dos Santos; a administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro e a chefe da Assessoria Especial da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal, Janaína Almeida.

A data foi celebrada em todas as unidades regionais e na sede da Fiocruz.

A gravação do evento Mais Meninas na Fiocruz Brasília está disponível nos links: parte 1 e parte 2   

 

Confira as fotos

 

Veja a repercussão nas mídias sociais: