Encontro online debate avanços e desafios das Residências em Saúde

Por: Fernanda Marques
18/11/2020

Fernando Pinto

 

Na manhã desta quarta-feira (18/11), teve início o X Encontro Nacional de Residências em Saúde, evento que ocorre pela primeira vez em uma versão totalmente online. Sob a temática “Nos Caminhos do Cerrado: Residência é (Re)Existência na Educação, no SUS e na Sociedade”, este primeiro momento do encontro contou com mais de 2 mil participantes. O evento vai até sexta-feira (20/11) e pode ser acompanhado ao vivo no YouTube.

 

A diretora da Fiocruz Brasília, Fabiana Damásio, participou da mesa de abertura, em que ressaltou a importância do trabalho realizado no fortalecimento das Residências em Saúde no âmbito da Fiocruz, bem como os seus avanços e desafios, destacando, em sua fala, que a residência é a prática que demonstra a maior união entre a formação e a atenção em saúde. De acordo com Fabiana, a residência na Fiocruz Brasília foi construída com representatividade e participação ativa de seus coordenadores, focada na integração entre ensino, serviço e comunidade.

 

A importância da residência nas ações durante a pandemia da Covid-19 também foi destaque na fala da diretora: ela ressaltou os esforços dos residentes neste período, e reforçou o agradecimento a todos os profissionais que se dedicaram e dedicam ao combate do novo coronavírus, nas residências de todo o país. “Existirmos a que será que se destina? Que seja para seguirmos juntos no fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) e na construção de um país cada vez menos desigual”, concluiu a diretora.

 

Adriana Coser, coordenadora adjunta das Residências em Saúde da Fiocruz, abordou o crescimento das ofertas de Residências pela Fiocruz, destacando o programa de Residências Multiprofissionais e a cooperação da Fiocruz com a gestão educacional das residências nos municípios brasileiros. Ainda segundo Adriana, a necessidade do avanço de programas de residência em atenção primária e emergências sanitárias foi, durante muito tempo, foco de debate na Fiocruz, que impulsionou a criação de diversas Residências Multiprofissionais, como a de Doenças Infecciosas e Parasitárias, Saúde do Trabalhador e Vigilância em Saúde. “A Fiocruz valoriza muito a oferta de residências que tenham consonância com as demandas e necessidades do SUS”, explicou.

 

Ao comentar sobre o desafio da integralidade nos programas de residência, Adriana apresentou a preocupação com a pauta da saúde mental dos residentes: em meio à pandemia, foi preciso pensar em estratégias de acolhimento a todos os profissionais de saúde em residência. A coordenadora também contou um pouco da experiência da Fiocruz na criação do sistema informatizado de egressos das Residências em Saúde.

 

Ester Massae Okamoto, representante do Fórum Nacional de Tutores e Preceptores em Saúde, lembrou os desafios, neste momento, diante do quadro de vulnerabilidades causadas pela pandemia da Covid-19. De acordo com Ester, a pandemia deixou à mostra toda a desigualdade que atinge as dimensões ambientais, culturais e emocionais. “Vivemos tempos em que as desigualdades se agigantaram e, como profissionais e cidadãos, temos o dever de questionar em que medida estamos contribuindo para a manutenção dessas desigualdades: se estamos reproduzindo essas desigualdades ou se seremos aqueles cuja (re)existência contribuirá para tornar realidade as necessárias transformações na educação, no SUS e na sociedade”, completou.

 

Já a gerente de ensino e pesquisa do Hospital Universitário de Brasília (HUB/UnB), Dayde Lane Mendonça, enfatizou a necessidade de se rediscutir os caminhos que estão sendo trilhados na formação de profissionais para o SUS. Ela pontuou que as residências são formadoras de profissionais para o SUS, lembrando a importância do SUS na vida e no direito à cidadania de todos os brasileiros.

 

O evento segue no formato virtual até sexta-feira (20/11), com a participação de residentes, preceptores, tutores e coordenadores de todos os estados com Residências em Saúde, debatendo sobre a conjuntura política das residências e o financiamento do SUS, além das diferentes realidades das Residências em Saúde em nosso país e sua Política Nacional. Esta edição do Encontro foi organizada por representantes dos Fóruns (de Residentes, Tutores, Coordenadores e Apoiadores) ligados à Fiocruz Brasília, à Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília (UnB) e à Escola Superior de Ciências da Saúde (DF).

 

Assista ao Encontro no YouTube