Comunicadores populares do DF participaram de oficina online com a Fiocruz Brasília

Por: Fiocruz Brasília
01/06/2020

Mariella de Oliveira-Costa 

 

Já pensou que a comunicação produzida pelos meios tradicionais de imprensa, redes sociais e instituições de saúde pública não alcança todos os brasileiros? Para boa parte da nossa população, as informações são construídas e compartilhadas por meio de carro de som nas ruas, folhetos e informativos de bairro, que são exemplos de comunicação popular e escapam à internet. Durante a pandemia, enquanto alguns segmentos sociais recebem uma avalanche de informação, outros têm ainda muitas dúvidas sobre a doença e suas implicações na saúde. 

 

A Fiocruz Brasília busca fazer comunicação em saúde de maneira cada vez mais próxima ao dia a dia das pessoas.  Na tarde da última sexta-feira, 29 de maio, por meio de sua Assessoria de Comunicação, a instituição promoveu online a  primeira edição da Oficina de Comunicadores Populares do DF. Jornalista da Fiocruz Brasília, Fernanda Marques abriu a oficina apresentando como as pessoas são hoje produtoras e reprodutoras de diferentes conteúdos e a necessidade de fortalecer a comunicação entre as instituições de saúde e os comunicadores populares, que conhecem a realidade específica de seu território e sabem como construir mensagens que sejam relevantes para essas pessoas. “A pandemia nos dá uma lição sobre a necessidade de capilaridade dessas redes”, afirmou a jornalista e pesquisadora da Assessoria de Comunicação.

 

Durante quase três horas, os participantes puderam refletir sobre o contexto de desinformação em saúde, conhecer um pouco mais sobre a comunicação em saúde promovida pela instituição e partilhar novas maneiras para se produzir um bom texto, podcast ou mídias sociais, além de dicas sobre fotografia pelo celular e também material audiovisual. Também tiveram contato com o pesquisador e coordenador do Núcleo de Epidemiologia e Vigilância da Fiocruz Brasília, Cláudio Maierovitch, que ressaltou que há, ainda, muita coisa desconhecida sobre o coronavírus, mas já se sabe algo e é importantíssimo se comunicar bem aquilo que a comunidade científica já comprovou.

 

O jovem Webert  da Cruz, do Coletivo Retratação, se disse satisfeito com a atividade pela possibilidade de trazer mais qualidade aos esforços da comunicação popular do DF. Ele ressaltou a importância de se executarem ações que informem a população que vive nas ruas, sujeita à contaminação. Já para o jovem Ueliton Melo, que atua na comunicação popular em Taguatinga, região a 30 quilômetros do centro de Brasília, este contato com a Fiocruz é importante não só para se pensar uma comunicação para quem não tem acesso à internet, mas também executar algo específico de alfabetização digital. “Mesmo quem tem acesso à internet, por vezes, não consegue compreender o que está dito na internet”, afirmou.

 

Os participantes foram mapeados desde o início de maio e, previamente à oficina, responderam a um questionário online, com informações sobre sua atuação, e puderam também sugerir como a Fiocruz Brasília poderia auxiliá-los a comunicar saúde durante e após a pandemia. A atividade foi organizada pela Assessoria de Comunicação da Fiocruz Brasília e contou com a presença da diretora da unidade, Fabiana Damásio, que lembrou que a oficina se insere no marco de 120 anos da Fundação, em 2020. A gestora avaliou que o encontro foi um ponto de partida para que a instituição construa uma forte rede de ação com os comunicadores  populares do DF, sem que ela se esgote em si mesma, mas que seja fortalecida a partir destas conexões.

 

Esta foi a primeira de uma série de oficinas com comunicadores populares do DF. Clique aqui para fazer parte da rede em formação

 

A próxima atividade da Fiocruz Brasília com foco na comunicação popular é a nova edição do Conexão Fiocruz Brasília, que vai trazer pesquisadores e comunicadores populares do DF . A atividade está agendada para o dia 18 de junho, às 15h, pelo youtube.com/fiocruzbrasiliaoficial . Faça sua inscrição no canal para ser avisado dos próximos vídeos. 

Conhece outro(s) comunicador(es) popular(es) que poderia(m) se interessar em se juntar à nossa rede? Por favor, envie este formulário pra eles.