No dia 20 de fevereiro, as inscrições de trabalhos estarão abertas.

As inscrições online vão de 05 a 16 de fevereiro de 2024.

 Nesta página é disponibilizado o calendário de bancas do Mestrado Profissional em Políticas Públicas em Saúde, da Escola de Governo Fiocruz Brasília. As bancas são abertas ao público e realizadas em salas da EGF ou por meio da Plataforma Teams Caso queira participar online, basta solicitar à Secretaria Acadêmica o link de acesso à transmissão. 

A turma destinada à Região Norte foi realizada por meio da parceria com o Departamento de Emergências em Saúde Pública (SVSA/MS) e NEVS (Fiocruz Brasília), contando com apoio da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas e da Secretaria de Estado da Saúde do Pará.   Foram ofertadas 50 vagas, distribuídas para as 7 Unidades […]

O Programa de Residência Multiprofissional em Vigilância em Saúde (PRMVS) é um modelo de capacitação para profissionais da área da saúde. Essa modalidade de ensino em serviço combina teoria e prática, oferecendo aos residentes uma formação completa alinhada às demandas contemporâneas da saúde pública. Os residentes têm a oportunidade de desenvolver diversas competências e vivenciar […]

O curso objetiva atender à diretriz e às ações relacionadas à capacitação de recursos humanos da Política e do Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos – PNPMF e da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares – PNPIC e sensibilizar os profissionais de saúde do SUS para a importância política, econômica e social da Fitoterapia/Plantas medicinais e Fitoterápicos, no contexto da Política e do Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos – PNPMF.

Aviso Prezados estudantes, devido aos recentes problemas técnicos ocorridos no mês de novembro, informamos que a oferta do curso de Atualização em Direito Sanitário – 2ª oferta foi prorrogada até o dia 31/01/2024. https://www.fiocruzbrasilia.fiocruz.br/wp-content/uploads/2022/02/vinheta_Direto_Sanitario.mp4A judicialização das políticas públicas de saúde é fenômeno político-social que atinge todos os entes da federação indistintamente e que tem origem […]

O curso de Capacitação para utilização do HÓRUS foi desenvolvido em cooperação técnica entre o Núcleo de Qualificação em Assistência Farmacêutica em parceria com a Coordenação Geral de Monitoramento das Políticas Nacionais de Assistência Farmacêutica e de Medicamentos do Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Complexo da Saúde do Ministério da Saúde (CGMPAF/DAF/SECTICS/MS) e a Fiocruz – Brasília, sendo desenvolvido com foco na necessidade de subsidiar as equipes locais da Assistência Farmacêutica para a discussão de processos de trabalho e capacitá-las para utilização do Sistema Hórus, visando atender as legislações e normativas vigentes.

A Política de Monitoramento e Avaliação do Sistema Único de Saúde é importante e transversal a todas as áreas técnicas do Ministério da Saúde. Para construí-la, o Ministério contará com a contribuição de pesquisadores da Fiocruz Brasília que tiveram um projeto selecionado na Chamada nº 22/2023 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), destinada a pesquisas que apoiem os gestores da Saúde na tomada de decisão em políticas públicas. De acordo com a coordenadora da proposta, Katia Zeredo, à frente do Serviço de Gestão do Trabalho (Segest) da Fiocruz Brasília, um dos méritos da proposta é reunir as experiências de diferentes profissionais da instituição. “Vimos uma oportunidade de unir nossos esforços para produzir e sistematizar um conhecimento que pode ser aplicado em todas as políticas, pois o monitoramento e a avaliação são aspectos que devem estar presentes em todas elas”, afirma Katia.

Febre, dor no corpo e nas articulações. Estes são alguns dos sintomas mais comuns da dengue, doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti infectado. A principal forma de prevenção é bem conhecida pelos brasileiros: não deixar água parada. Ainda assim, o número de casos de dengue no país vem aumentando. Somente nas três primeiras semanas epidemiológicas […]